Como fazer Drive na voz?

Drive na voz é umas técnicas mais discutidas (e polêmicas) entre cantores iniciantes e experientes. Isso tudo porque, mesmo com uma sonoridade que adiciona muita expressão às músicas, usar drive na voz também pode colocar em risco a seu aparelho vocal caso você não aqueça ou treine antes de executa-la em uma canção. 

Mas pode ficar tranquilo que vamos passar todas as orientações para você treinar drive na voz com segurança sem correr o risco de machucar ou desgastar suas cordas vocais. O drive nada mais é que aquele rasgado na voz, aquela vibração adicional que faz a voz soar mais intensa, o que consequentemente exige mais do seu aparato vocal. 

Antes de tudo é preciso entender que não é da noite para o dia que você será capaz de fazer drive. Essa técnica, assim como todas as técnicas de canto, exige muito estudo e investigação da sua voz. Então paciência! Estude bastante e pratique sempre com cuidado. Vamos às dicas!

Como funciona o drive na voz

O drive funciona como uma compressão na laringe e nas cordas vocais, possibilitando que o ar sai dos seus pulmões com uma sonoridade agressiva na voz, deixando ela rouca e mais grave. 

Uma das primeiras dicas para começar a estudar o drive na voz é o famoso “fry”. É uma prática muito comum em fonoaudiologia e serve para adequar e corrigir a postura das pregas vocais. O exercício do “fry” atua como um conforto para a laringe, enquanto sua musculatura trabalha equilibrando e estabilizando o fluxo de ar que está saindo. 

A técnica consiste em emitir um som rouco enquanto sua laringe está relaxada, fazendo com que o som sai grave porém de uma forma suave. A maneira mais fácil de começar esse ruído é iniciar com a boca fechada e abri-la progressivamente, assinalando a mudança de abertura na voz. 

Após você sentir que já domina esse exercício, tente agora executar o “fry” pegando uma nota musical como referência. Depois, tente transitar com sua voz pelas diferentes notas e trabalhe o controle da rouquidão e intensidade do fluxo de ar. 

Isso fará com que você se familiarize com diferentes frequências sonoras que podem variar na execução do drive. É nesse momento que você fará as investigações sobre suas voz, já que cada um tem um aparelho vocal diferente com sonoridades distintas. Estude muito e conheça seu instrumento, sempre com muito cuidado já que não é possível trocá-lo. 

Lembre-se de trabalhar também o controle da sua respiração, sempre com apoio do diafragma. É ela que irá determinar quanto ar entra e sai, além do relaxamento da laringe e da intensidade da voz e dos ruídos do drive. 

Sentir dor não é normal!

Caso você esteja sentindo algum incômodo ou dor na hora de abrir e fechar sua voz, pare agora! É importante que você não exagere nos treinos e na intensidade do drive. Para cantar é preciso sentir que sua voz esteja confortável, e que suas articulações e impostação não causem desconforto e eventualmente alguma lesão.

Espero que vocês tenham gostado, deixa aquele comentário e fique por dentro de diversos assuntos sobre canto aqui no nosso blog. Até a próxima!