Dicas para cantar e tocar viola caipira

Aprende a cantar e tocar viola caipira com Zé Helder - Planeta Música

Olá queridos amigos do Planeta Música! Hoje trago um tema muito pertinente do universo da viola: dicas para quem quer cantar e tocar viola caipira.

Viola caipira é um instrumento de cantador. Boa parte de meus alunos quer aprender viola para cantar, aliás esse instrumento é um excelente acompanhamento para a voz. Mas para um iniciante é um desafio e tanto dar conta de tocar e cantar bem. 

No universo da música caipira a gente percebe que um bom tocador é sempre um bom cantador. Para quem conhece mais de perto, a gente vê que os violeiros tradicionais dão uma imensa importância à voz.

Existem alguns “protocolos” com os cantadores da música caipira. Primeiro com o timbre e tessitura. Em um dueto sempre há uma voz chamada de primeira e outra de segunda. E aí já começa a peculiaridade do cantar caipira, que simplifica esse contraponto vocal dessa forma: primeira é a voz aguda, segunda é a voz grave. 

Mas apesar do simplismo, cantar e tocar viola é um que assunto não deixa de ser controverso. Com Tonico e Tinoco, por exemplo, é fácil dizer que Tinoco (voz aguda) é a primeira, enquanto Tonico (voz mais grave) é a segunda. Com Tião Carreiro e Pardinho, essa lógica se inverte. A voz principal nessa dupla é o grave de Tião Carreiro enquanto Pardinho dueta de segunda com sua voz aguda. Conheço duplas que invertem facilmente esse papel, como Seu Oliveira e seu filho, Edson Fontes. 

Outra coisa interessante de notar é que na música caipira a canção se encerra quando acaba a letra, ou seja, não existe instrumental depois que a voz termina, porque o canto é, de certa forma, o principal. Nas introduções também se nota que a contagem para começar a cantar nunca ultrapassa dois compassos de contagem. Contou dois, já entra cantando, ou vai soar errado, para quem conhece música caipira.

Enfim, cantar em dupla pode ser uma tarefa de uma vida inteira. Não é fácil. Mas posso dar umas dicas para o caminho a ser seguido. Primeiro: se você está aprendendo a tocar, procure criar o máximo de intimidade com a viola. Não dá para se concentrar no canto se você ainda não tem desenvoltura para mudar de acorde na hora certa, é preciso praticar bastante, sobretudo conseguir manter um bom ritmo na levada do instrumento. 

Menos é mais

Outra coisa importante é tocar da maneira mais simples possível. Conheço cantores profissionais que ao se acompanharem de um instrumento não ficam tentando malabarismos, antes eles simplificam ao máximo o acompanhamento para poder cantar livre da obrigação de tocar coisas difíceis. Muitas vezes uma música não exige grandes esforços se tocada de maneira fácil, com poucos acordes. Em outras palavras, se você sofrer para tocar e cantar, quem te ouvir vai sofrer também, você vai transmitir isso. 

Uma coisa que um principiante não percebe é se está tocando com um volume adequado e com dinâmica. Se você vai cantar, toque mais suave e ponha a voz para fora, para sua viola não se sobrepor à sua voz. No momento em que a viola deve aparecer mais você terá como subir o volume se souber usar essa dinâmica. E cantar exige também uma boa respiração e uma boa postura.

Coluna bem ereta e respiração diafragmática (isso se consegue percebendo o músculo do diafragma, que faz o papel de fole). É fundamental apoiar a voz na região mais baixa de seu ventre, mantendo um bom movimento do diafragma. A voz é produzida pela passagem do ar entre as pregas vocais, mas a constância e domínio desse músculo para produzir essa passagem do ar de maneira controlada é o grande segredo de cantar bem. 

Eu poderia sugerir que, além de estudar seu instrumento, você se dedique a aulas de canto. Mas não perca uma coisa de vista: música caipira é música popular, espontânea, cantada por quem aprendeu esse ofício sem estudo formal.

Então procure conhecer o limite entre uma voz educada (como no canto lírico) e essa voz de cantador aprendida de maneira empírica, ou eu poderia dizer, jogando e não treinando. E acima de tudo, cante sem receio.

Cante como quem sabe que essa é a função da música, trazer alegria. E essa alegria só tem sentido se for oferecida e compartilhada com quem te ouve. Liberte o violeiro cantador que há dentro de você! Espero que tenham gostado das dicas e bora cantar e tocar viola. Até a próxima, pessoal!

Zé Helder bio - colunista do Planeta Música sobre assuntos de viola caipira

Zé Helder

Natural de Cachoeira de Minas (MG), é músico profissional há dezenove anos, possui três discos solos na carreira e já dividiu o palco com Pepeu Gomes, Índio Cachoeira, Andreas Kisser, entre outros. Fez parte do grupo Orelha de Pau e integra a banda Matuto Moderno, que reúne clássicos do rock e heavy metal tocados na viola caipira ao lado de Ricardo Vignini.