Voz e violão: 10 grandes violonistas brasileiros que cantam e tocam

10 violonistas brasileiros que tocam e cantam - lista com violonistas brasileiros que cantam e tocam

Aqui vão 10 grandes violonistas brasileiros que cantam e tocam, e que mesmo não sendo cantores de fato, em algum determinado momento de suas carreiras dedicaram sua arte para expandir sua expressão musical em seu canto, com instrumento de acompanhamento, fazendo voz e violão.

Filó Machado

Paulista, exímio violonista e cantor, tem de grande relevância por sua parte rítmica e harmônica, belas composições cheias de swing e bom gosto. Em seus improvisos usa os solfejos, com frases muito bem construídas que às vezes lembrando frases de Wes Montgomery. Teve sua maior composição gravada por Djavan, “Jogral”, Jogral era um bar, de dono que também era compositor, o Luiz Carlos Paraná, autor da música “Maria, Carnaval e Cinzas” cantada por Roberto Carlos no Festival de 1967, ficando em 5° colocado.

Filó mostrou essa canção ao Djavan e ele colocou a letra em cima da harmonia e melodia apresentada. O encontro deu-se num bar chamado Boca da Noite, posteriormente conheceu Aldir Blanc onde fizeram parcerias. Entre violonistas brasileiros que cantam e tocam, Filó não poderia ficar de fora.

Lenine

clique aqui

estude VIOLÃO na escola de

Clique e estude violão com o Planeta Música. Aprenda assuntos e técnicas como afinação, técnicas de mão direita e mão esqueda, power chords, dedilhados, arpejos e muito mais. Comece agora por apenas R$29,90 e bons estudos!

Pernambucano, cantor, violonista e compositor, seu início de carreira na música foi de suas canções terem sido gravadas por grandes artistas como Elba Ramalho, Milton Nascimento, Maria Bethânia, O Rappa, Capital e outros. 

Nos anos 2000 teve seu maior reconhecimento, com a carreira de cantor e com álbuns lançados a partir da década de 90, e ganhando muitas premiações nesse período, suas músicas viraram temas de várias novelas, entre elas chamando muita a atenção o tema da novela da Globo “Belíssima”, por ser uma música de compasso composto de 7/8, sendo ouvido num horário nobre da televisão brasileira.

Suas composições tem muitas influencias de ritmos nordestinos e africanos, com levadas quebradas de compassos compostos, além de suas letras altamente poéticas e idealistas.

Guinga

Carioca, considerado um dos melhores compositores de violão do mundo, tem músicas gravadas por Chico Buarque, Elis Regina, Ivan Lins e Sergio Mendes. Com uma sonoridade brasileira que incorpora também outros estilos como a valsa e o erudito em suas canções. Com sua peculiaridade em ver o instrumento de uma forma diferente de suas extensões, cria seus assinaturas em acordes no estilo pianístico, com intervalos de 2m e 2M, também fazendo em regiões mais graves e shapes fora do convencional.

Hélio Delmiro

Carioca, o único brasileiro citado na lista da revista americana de música DownBeat como um dos cinco maiores guitarristas/violonistas do mundo. Tendo um maior renome pelos trabalhos feitos com a cantora Elis Regina, e o Duo de violão e piano com o César Camargo Mariano, um clássico da música instrumental brasileira.

Depois de décadas de trajetórias na música, e marcando sua história e assinaturas na forma de tocar, começou a desenvolver seu lado cantor.

Toninho Horta

Mineiro, um dos grandes nomes do Clube da Esquina, e um dos responsáveis pela criação da “Valsa Mineira” foi um dos violonista/guitarrista que mais trabalhou com grandes nomes da música brasileira como Tom Jobim, Hermeto Pascoal, Dominguinhos, Caetano Veloso, Milton Nascimento, João Bosco, Dori Caymmi, etc.

Muito conhecido pelas técnicas de voicings no violão, explorou diversas caminhos harmônicos e situações nos acordes em suas tensões.

João Gilberto

Baiano, conhecido como o percussor da Bossa Nova, revolucionou a música ao popularizar uma nova batida, aliado ao jazz e ao samba. Com um jeito suave de tocar e também em seu cantar, chegando a tocar com um volume mais baixo do que o convencional, fazendo uma economia da parte harmônica tornando-a enxuta, assim então influenciando a geração seguinte de artistas.

Toquinho

Paulista, um grande violonista e cantor, nos anos 70 fez um duo histórico Vinícius de Moraes, e participações em apresentações e gravações com o Tom Jobim, tendo grande experiência na parte harmônica e lírica. Nos anos 80 gravou com o Paulinho Nogueira um álbum de músicas instrumentais. Nos anos 90 se reinventou ao compor música voltadas para o público mais jovem.

João Bosco

Mineiro, um cantor e violonista com muito vocabulário harmônico e rítmico, a mão direita de seu tocar foi uma marca registrada de João Bosco. Durante sua trajetória na música, no ano de 1970 conheceu o que seria ser o seu maior parceiro musical, o Aldir Blanc, em sua trajetória ainda faria parcerias de artistas como o Chico Buarque e Elis Regina, além de grandes músicos compondo sua banda.

Djavan

Alagoano, conhecido por suas harmonias e suas metáforas em suas canções, ele conseguiu transformar a complexidade de suas músicas para um requinte agradável para todos os públicos. Combinava ritmos tradicionais da América do Sul, com ritmos da África, Europa e Estados Unidos. Além desse lado mais elaborado em suas músicas, chegou às paradas de sucesso de rádio e as trilhas de novelas com uma música mais calma e lenta.

João Alexandre

Paulista, cantor e violonista do mundo gospel, tem sua delicadeza em sua forma de tocar, com o cuidado que tem com cada acorde, cada intervalo das notas do acorde, a preocupação dos detalhes da execução e do desenho dos acordes em sua harmonia, a sua dinâmica na forma de tocar chama muita atenção, além da colocação da voz tornando uníssono voz e violão, às vezes a voz complementando uma nota do acorde que a limitação do instrumento impede de fazer no violão. 

Yamandú Costa

Gaúcho, um dos maiores nomes do violão 7 cordas no Brasil e no mundo, uma carreira de divulgar a música gaúcha de fronteira e uma busca de conhecimento de ritmos brasileiros como o choro e baião, da música da América Latina como a chacareira, joropo, festejo e milonga, e do mundo como o violão flamenco e o violão russo.

E mesmo depois de anos com sua trajetória consolidada na música instrumental, em 2019 ele lança em álbum só de canções cantadas, o álbum Vento Sul, em parceria nas letras com o Paulo Cesar Pinheiro, mostrando seu lado de cantador.

E essa foi minha lista com 10 violonistas brasileiros que cantam e tocam. Curtiu? Sentiu falta de algum nome aqui na lista? Deixa aqui nos comentários! E não deixe de conferir outros conteúdos de violão aqui no blog.

E se quiser ter uma experiência de aprendizado musical totalmente gratuita, acesse o Planeta Música Free para ter acesso a diferentes cursos de música online e videoaulas feitas para você aprender música de verdade.

Tudo pronto para começar? Clique e acesse, e bons estudos!

Cadastre-se grátis

Acesse grátis o Masterclass

Uma aula que vai te ensinar a tocar bem mesmo sem ter tempo ou facilidade. Aproveite, é totalmente gratuito.

Bio Bruno Planeta Música - colunista sobre assuntos de violão.

Bruno de Souza

Comecei a estudar música com 12 anos, no começo no erudito, e depois do choro ao rock, Engenheiro e atleta profissional de futebol freestyle (http://oneart.com.br/), juntei a parte artística do freestyle com a parte matemática/lógica da engenharia, e adaptei minhas experiências para música, com muitas pesquisas, estudos, composições e projetos.